A segurança do sorriso de Regina Duarte

Olá Kenzetis, tudo bem com vocês?

Hoje vamos falar do sorriso de uma das maiores estrelas do nosso país! Regina Duarte, a atriz considerada a “Namoradinha do Brasil”

Mas o que tem o sorriso de Regina? Que a deixa tão ativa e atuante?
Quem olha vê um sorriso natural, alinhado e clarinho em uma mulher de 73 anos de idade. O que muita gente não sabe, é que a função dos dentes está perfeita, além da estética bem feita.

O bonito sorriso de Regina Duarte, que o brasileiro conhece há seis décadas, tem muito a dizer sobre postura ativa e confiante após os 50 anos de idade.

 

Atriz mudou completamente o aspecto do sorriso no ano de 2007.

“Eu sorrio para a vida e ela me sorri de volta. Esse é o maior instrumento que tenho e com o qual elevo minha autoestima para continuar enfrentando os desafios da vida com leveza”, conta a atriz, antes de ser atendida por seu dentista Marcelo Moreira, no Ateliê Oral, clínica no Itaim Bibi, em São Paulo.

 

O apinhamento, amarelamento e desgaste dos dentes a partir dos 50 anos, processo que os especialistas chamam de envelhecimento dental, podem estar acompanhados de uma condição muito mais alarmante para a saúde, que é quando os caninos estão tão desgastados que já não mais atuam para proteger o ranger dos dentes. E eles começam a perder volume de esmalte, acarretando a exposição da dentina, que não é uma substância, por ser orgânica, que está preparada para ficar exposta no meio bucal. Ela sempre tem que estar protegida.

Além disso, pela perda do esmalte, os dentes vão se movimentando e os de baixo invadem o espaço dos de cima, começando a “lixar” e desgastar toda a arcada.

Foi isso que Regina tratou, aliando saúde com uma estética natural e em harmonia com a face.

A saúde do sorriso após os 50 anos envolve responsabilidade na prevenção do envelhecimento bucal

Mas o alerta vale para todos com idade próxima ou acima dos 50 anos, mesmo para quem não expõe o sorriso em frente às câmeras com alta definição de imagem.

Em cinco anos, por exemplo, um dente que tem uma pequena retração de gengiva, se não for tratado, pode ter a dentina muito mais exposta e pigmentada. O perigo não é a estética, mas o colapso bucal, que vem em consequência dos desgastes.

Para evitar esse envelhecimento é muito importante preservar o esmalte do dente. “Quem não conseguiu prevenir, não basta fazer qualquer tipo de tratamento. Precisa ser direcionado para tratar os males compatíveis com essa faixa etária. Por exemplo, uma forma de restaurar a guia de proteção dos caninos, é colocar fragmentos de porcelana, devolvendo o esmalte e ajustando novamente o nivelamento dos dentes”, diz dr. Marcelo Moreira.

Em um país que deverá ter a quinta maior população de pessoas com idade acima de 60 anos do mundo em 2030, é preciso ficar atento: mesmo que o indivíduo não tenha cárie, o ritmo de vida atual impõe mais tensão na mordida que, aliada ao uso de pastas dentais clareadoras sem a recomendação adequada, e alimentação ácida, causam o desgaste do esmalte.

A orientação dos especialistas inclui usar produtos específicos para regenerar o esmalte do dente, criar o hábito da limpeza e de consultas periódicas, nas quais se analisa: o índice de placa bacteriana, a saúde da gengiva, da mordida e mastigação.

Pessoas com algum tipo de doença gástrica, como refluxo e úlcera; que se submeteram a cirurgia bariátrica; ou utilizam balão intragástrico, também devem redobrar a atenção. “São pacientes que apresentam degradação biocorrosiva do esmalte e da dentina causada pelo ácido clorídrico do estômago”, diz dr. Moreia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *